Use seu cartão de modo inteligente

cartao de credito

As primeiras atividades comerciais baseavam-se no escambo. Depois, surgiram as moedas e as notas, até que, muitos séculos depois, mais precisamente nos anos 1950, surge o dinheiro de plástico.

O fato ocorreu em 1950, na cidade de Nova York, quando o executivo Frank MacNamara e seus convidados perceberam que estavam sem dinheiro ou cheque para pagar a conta do jantar. Conseguiram convencer o dono do restaurante a deixá-los pagar a conta no dia seguinte, após assinarem uma espécie de promissória.

MacNamara, então, pensou que faltava uma opção de pagamento para que os esquecidos não passassem por constrangimento semelhante. Nesse mesmo ano, surgiu o primeiro cartão denominado Diners Club Card, que passou a ser aceito em 27 restaurantes nova-iorquinos. Em 1950, apenas 200 pessoas possuíam o tal cartão.

Em 1966, o BankAmerican Service Corporation lançou o BankAmericard, que mais tarde daria origem à bandeira Visa.

Hoje, totalmente incorporado à rotina diária das pessoas, o cartão de crédito tornou-se símbolo de consumo. No Brasil, segundo a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), seu uso tem aumentado cerca de 20% ao ano. Já são mais 700 milhões de cartões. Uma média de três por pessoa, se levarmos em conta toda a população do país, incluindo crianças. E é justamente nesse número que está o perigo, já que ser portador de uma certa quantidade de cartões pode passar a alguns a falsa ideia de status. Uma grande bobagem.

O problema consiste em que, na maioria das vezes, as pessoas efetuam compras em vários cartões e perdem o controle da quantia que efetivamente estão devendo. Para que isso não aconteça, o ideal é que se tenha um cartão, no máximo dois.

Use seu cartão de modo inteligente!

Estabeleça um limite pessoal de gastos e tente não ultrapassá-lo.

Você sabia que pode solicitar uma negociação da anuidade do seu cartão? Pois pode. Faça isso assim que a fatura com a primeira parcela desse encargo chegar ou no ato da sua aquisição. Algumas operadoras já oferecem cartões sem anuidade, desde que seja efetuada pelo menos uma compra por mês.

Cuidado com o aumento do limite de crédito. Isso pode ser uma armadilha. Não é por que o dinheiro está disponível que você vai sair por aí gastando.

Nunca pague o valor mínimo da fatura e procure fazê-lo sempre em dia para evitar os juros abusivos.

Controle os parcelamentos feitos no cartão. A soma das parcelas poderá estar próxima do seu limite estabelecido.

Cuidado com os cartões adicionais, principalmente se quem vai arcar com as faturas é você.

E, finalmente, uma dica que parece óbvia, mas que vale a pena repetir: não empreste seu cartão. Imprevistos acontecem e você pode ter de pagar pela compra do seu amigo para não sofrer restrições de crédito.

2 comentários

  1. Ricardo Martins - 21 de março de 2013 22:39

    O legal de alguns cartões é o programa de milhagem.
    O que costumo fazer é usar o cartão apenas para contas que nao tem como fugir, como supermercado por exemplo.
    Assim diminui o risco de sair do controle. :)

    Responder
    • Sandra Rodrigues - 22 de março de 2013 2:34

      Você está correto. A palavra chave é controle. Dá para usar o cartão em várias situações, desde que a pessoa consiga manter-se dentro de um determinado limite estabelecido por ela mesma. Acompanhar a fatura pelo site do cartão é uma atitude que pode evitar “surpresas” quando a conta chegar.
      Obrigada pelo acesso.

      Responder

Dê sua opinião