Rendimento das mulheres cresce 83% em dez anos

Mulheres2

Renda de mulheres cresce 83% em dez anos, mas ainda ganhamos menos.

Segundo dados do estudo “Tempo de Mulher”, divulgado pelo Data Popular, o rendimento das mulheres cresceu 83% em dez anos. A notícia ruim é que, mesmo assim, os homens ainda recebem cerca de 58,4% a mais, persistindo a desigualdade.

Em 2013, deverá passar pelas nossas bolsas algo em torno de R$ 1,01 trilhão, valor equivalente ao PIB de países como Suécia ou Bélgica. Já pelos bolsos masculinos, circularão aproximadamente R$ 1,6 trilhão.

Nas últimas duas décadas, 11 milhões de mulheres entraram  no mercado de trabalho brasileiro, proporcionando um aumento de 162% no número carteiras assinadas para elas, o que, segundo Renato Meirelles, sócio-diretor do Data Popular, “possibilitou investir em estudos e melhores oportunidades para contribuir com a renda familiar, antes responsabilidade do marido”.

O perfil de consumo também acompanhou essa evolução. Hoje, as mulheres interferem diretamente em decisões de compra que antes eram quase que totalmente masculinas, como automóveis e imóveis.

A pesquisa do Data Popular foi realizada com 1.300 mulheres de 44 cidades brasileiras entre dezembro de 2012 e fevereiro de 2013. As projeções para este ano foram feitas a partir de dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

A continuar nesse ritmo, nos próximos dez anos, poderemos igualar ou até mesmo ultrapassar os ganhos masculinos.

Mas, afinal, isso não é uma guerra. O que queremos, na realidade, são salários condizentes com a função ou cargo exercido.

Os rendimentos devem ser distribuidos por competência e mérito, não por sexo. Isso sim é justo.

Dê sua opinião